Brincar na Cozinha: uma vitória dourada e doce

O passatempo, promovido por Teka, “Notícias Magazine” e “DN Life”, reuniu as seis famílias finalistas numa jornada bem animada. Todas cozinharam ao vivo, perante o júri, a receita que tinham submetido em vídeo a votação. A família vencedora ganhou cinco mil euros em prémios.

Família Amaral (Foto: João Silva/Global Imagens)

Texto de Ana Patrícia Cardoso

Quem resiste a um bolo de chocolate? E este é especial. Cozinhado pela dupla Machado, composta pela mãe Maria dos Anjos e pelo simpático Guilherme, esta foi uma das seis receitas da final do Brincar na Cozinha, que decorreu a 2 de março.

Quando lhe perguntam quem cozinha mais, Guilherme não tem dúvida. “Os dois cozinhamos. É mesmo um trabalho de equipa.” Vai falando enquanto bate o recheio do bolo. E, como manda a tradição, é preciso rapar a taça no final, para que nada se desperdice. Sabe a receita de cor e faz questão de salientar que o fermento “é muito importante porque faz crescer”. Não podia estar mais à vontade entre tachos e panelas.

Noutro fogão, a família Martins parece estar organizada nas tarefas. Há que fazer o recheio, cortar os pimentos, o pão. Tudo para a receita brusqueta FiliRo, que o pai Filipe e o filho Rodrigo gostam tanto de fazer, sobretudo aos fins de semana. “Sábado e domingo são os nossos dias para cozinharmos. Eles gostam muito de preparar os pequenos-almoços. É o nosso ritual”, conta a mãe Inês, que filmou o vídeo finalista e também vai dando uma ajuda.

Apesar do sucesso das manhãs, Rodrigo adora sopa. Se pudesse, comia canja todos os dias. O molho de tomate do recheio está tão bom que todos provam antes do tempo. Um sucesso entre miúdos e graúdos.

Rodrigo e o pai, Filipe Martins. (Foto: Maria João Gala/Global Imagens)

O júri – composto por Teresa Lagoa, diretora de marketing da Teka; Inês Cardoso, diretora-adjunta do JN; Isabel Zibaia Rafael, chef coordenadora do evento final; Adriana Freire, mentora da Cozinha Popular da Mouraria; Paulo Farinha, chefe de redação da “DN Life”, e Lina Santos, editora do DN – vai saltando de receita em receita e conversando com os participantes. A interação entre os familiares é um dos itens avaliados para escolher os vencedores.

A família Marinho está a terminar a mousse de groselha, receita que o filho Tomás costuma fazer regularmente com a avó Emília, a doceira lá de casa. O pequeno não resiste ao tempo a dois na cozinha, onde vai aprendendo novos truques. Não são novatos no passatempo. Os pais, José e Marlene, participaram na primeira edição. E têm também o canal Brincapanda, com mais de 26 mil subscritores e cerca de 100 vídeos, em que a estrela é o Tomás.

Tomás e Marlene Marinho.
(Foto: Miguel Pereira/Global Imagens)

Rita Amaral trouxe os filhos Martim e Matilde para cozinhar dourada com batata-doce, uma receita saudável que todos gostam lá em casa. Contaram com a preciosa ajuda da tia Vanessa, que não consegue esconder a emoção de chegarem à final. “É incrível estarmos aqui. Muito obrigada pela oportunidade.” Quando lhe perguntam como vai ser o prato de peixe, Matilde responde sem hesitação: “Vai ser bom!”. Todos cortam os legumes, passam-nos pelo molho de azeite e ervas e colocam no tabuleiro. Os irmãos guardam o forno com toda a atenção. Não há margem para erros neste dia especial.

Enquanto esperam, as crianças reúnem-se à volta de uma mesa a jogar ou pintar. Correm de um lado para o outro, assistem a vídeos no telemóvel, pintam os aventais, enquanto os pais vão trocando experiências. Afinal, nem tudo é competição. As famílias divertem-se e, no final, os mais pequenos não levam só prémios para casa – levam também futuras amizades.

Família Amaral (Foto: João Silva/ Global Imagens)

A dupla das Princesas Pinto chega à final com lacinhos no cabelo iguais. Iva e Lia não deixaram nenhum pormenor ao acaso. O pai Carlos, o fiel ajudante das pequenas, diz que a sobremesa natas do céu que estão a cozinhar “não só é a receita predileta das filhas como é o pedido número um das festas com familiares e amigos”. Ainda são pequenas para fazer todas as tarefas – é o pai que separa as gemas das claras -, mas estão atentas a tudo. No entanto, não é só da sobremesa que as irmãs gostam. Iva adora comer massa com alheira. Uma inteira, não faz por menos. O pai ri-se. “Come-se bem na nossa casa.”

Carlos Pinto e as filhas, Iva e Lia. (Foto: Igor Martins/Global Imagens)

As bolachas de chocolate da família Mateus já dão que falar ainda antes de irem ao forno. Rebeca lambe a massa (crua e deliciosa) dos dedos, enquanto a mãe Miriam trata dos últimos pormenores. A família está a construir uma nova casa e o prémio vinha mesmo a calhar. O pai Pedro também gosta de cozinhar com Rebeca e o prato predileto dos dois são “as panquecas”.

O júri teve uma decisão difícil e todos são vencedores em simpatia. A dourada com batata-doce da família Amaral levou o primeiro prémio (até dois mil euros em eletrodomésticos Teka e uma viagem da Agência Abreu com destino à escolha no valor de três mil euros). A pequena Matilde não contém as lágrimas e emociona toda a sala. “Estou tão feliz! Ainda não acredito.” O Martim admite que, quando ouviu o nome da família, “ia tendo um ataque cardíaco”.

Família Mateus (Foto: Orlando Almeida/Global Imagens)

As restantes cinco famílias finalistas não foram para casa de mãos vazias. Cada uma levou mil euros em eletrodomésticos Teka. Teresa Lagoa diz que estão todos de parabéns. “Foi uma manhã muito animada. Fiquei a saber novos truques com os mais pequenos. Esta é uma oportunidade muito boa para incentivar os pais a cozinharem com os filhos e a criarem memórias em conjunto.”

Bitnami